Saiba sobre descolamento prematuro de planceta (DPP)

descolamento de placenta
descolamento de planceta

Você sabe o que é descolamento prematuro de placenta? Vem comigo que eu te explico.

A placenta é um órgão materno-fetal, e é formada no ínicio da gestação, possui essencial função de nutrição, remoção de resíduos, transporte de oxigênio da mãe para o bebê, dentre outras funções e sem esse órgão o bebê não sobrevive dentro do útero. Sendo que, ela possui uma parte que fica aderida ao útero (parte materna) e uma parte que onde fica o líquido e o feto (parte fetal). Ela é formada no inicio da gestação e é expulsa logo ao após o nascimento do bebê.  

Primeiro, precisamos diferenciar o descolamento prematuro de placenta (DPP), de placenta prévia (PP). A placenta tem que se implantar no fundo do útero ou corpo uterino, e quando se insere em local próximo ao colo uterino ou mesmo sobre o colo uterino, chamamos de placenta prévia. Falaremos mais sobre isso em outro post, mas é necessário saber, que o DPP pode ser uma consequência da placenta prévia.

posicao_placenta
Posição da placenta.

Então o que é o descolamento prematuro de placenta (DPP)?

Resumindo: Quando por alguma razão a parte materna da placenta se descola do útero antes do nascimento do bebê, chamamos de descolamento prematuro de placenta.

Para entender um pouco mais profundamente, é imperativo entender os estágios clínicos do parto, explicando mais simples, quais são as fases do parto:

  1. Contração e dilatação (Dilatação e esvaecimento do colo uterino)
  2. Expulsão (Saída do bebê)
  3. Dequitação (Saída da placenta)
  4. Primeira hora pós parto, ou período de greenberg (Contração do útero, formação do globo de pinard).

O parto precisa acontecer nesta sequência. Quando a placenta se desprende do útero, antes do nascimento do bebê, temos um descolamento precoce, sendo este grande causa de morbidade e mortalidade materna e fetal.

A placenta ao se desprender do útero precocemente provoca hemorragia (seu descolamento causa uma “ferida” no útero), sendo que este sangramento pode ser oculto (descolamento do centro da placenta, tendo as bordas ainda implantadas).

DESLOCAMENTO DE PLACENTA
descolamento da placenta

Diferente de quando se respeita os estágios do parto, nascimento do bebê e após saída da placenta, onde o útero idealmente se contrai, permitindo que as fibras musculares se entrelacem e promovam a hemostasia (contenha o sangramento) através da formação do globo de pinard , no DPP com a presença do bebê, o útero se contrai, mas não realiza com eficiência, portando, há grande perda sanguínea, dependendo do tamanho do descolamento.

Os sintomas são:

  • Hemorragia vaginal
  • Dor abdominal e/ou lombar
  • Contrações uterinas.
  • Diminuição ou interrupção da movimentação fetal.

Mas, cuidado! Nem sempre há hemorragia visível e todos os sintomas.

Porquê acontece o DPP?
A causa ainda não é totalmente conhecida, mas para melhor entendimento, podemos diferenciá-la em traumática e não traumática.

  • Traumático:

Interno: Cordão curto (conforme o bebê cresce, pode haver tração do cordão e descolar a plancenta), parto de gemelar com uso abusivo de ocitócitos, escoamento rápido de polidramnio (excesso de líquido amniótico) entre outros.

Externo: Traumas e acidentes.

E as causas não traumáticas, são os fatores que podem predispor o DPP:

  • hipertensão arterial
  • condição socioeconômica
  • multiparidade
  • idade materna avançada
  • passado de complicações obstétricas
  • relato de DPP em gestação anterior
  • cesariana prévia
  • restrição do crescimento intrauterino
  • corioamnionite
  • gemelaridade
  • diabetes melitus
  • tempo prolongado de rotura de membranas
  • tabagismo
  • etilismo e uso de drogas ilícitas
descolamento de placenta
descolamento de planceta

Como detectar?

O diagnóstico de DPP é fundamentalmente clínico, analisa-se os sinais e sintomas (ex.: aumento da altura do fundo do útero, pode significar hemorragia oculta). O diagnóstico pode ser auxiliado pela ultrassonografia.

Qual o tratamento?

O tratamento vai ser diferente conforme gravidade, idade gestacional, condição materno-fetal. Portando, cada caso deve ser avaliado pelo obstetra, sendo que se o descolamento for importante  e não puder ser revertido, na maioria dos casos o tratamento é através do parto cirúrgico.

Vale lembrar, que precisamos sempre ficar atentas a sinais e sintomas de riscos na gestação e avaliar a vitalidade do bebê. Em casa de dúvida procure atendimento médico.

Obs: As informações do blog não servem para diagnósticos ou tratamento. Sempre procure seu médico. A função é apenas informar.

Beijos

Lirian Tairy

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s